skip to Main Content

Com duas edições realizadas em 2019 – São Paulo e Salvador – o Basketball Camp oferece uma experiência única para os alunos do programa NBA Basketball School de treinar e conviver com outros alunos e professores da rede, além de convidados especiais, como os ex-jogadores Marcelinho Machado e Guilherme Giovannoni e também o jogador Alex.

Já tivemos mais de 140 meninos e meninas participantes, que puderam passar 3 dias treinando, aprendendo e se divertindo nos nossos camps, junto aos treinadores e técnicos convidados, como o americano Jeff Chirstensen, ex-técnico da NBA G-League, e Daniel Soares, Diretor de Operações de Basquete da NBA para a América Latina.

Eles não têm medo de errar e mostraram uma vontade enorme de aprender. E não foram apenas eles que aprenderam, nós também porque é uma troca muito bacana. Gosto muito de estar com a molecada, de ajudar, ensinar, passar algumas dicas, e pretendo trabalhar com crianças quando parar de jogar.

Alex Garcia

Tem menino aqui de Sergipe, do sul do país, do Mato Grosso… E você vê o quanto eles são dedicados no olhar, nas reações. Estavam sempre atentos a tudo. Lembrei de quando eu comecei no basquete, era muito diferente, e acompanhando essa garotada no dia a dia, vendo a maneira como a NBA aplica a metodologia, é algo realmente impressionante. Todos aproveitaram cada minuto do camp, se dedicaram ao máximo, foi uma experiência incrível pra mim também.

Marcelinho Machado

Foi uma experiência gratificante. Tivemos meninos e meninas de diversas idades, de diferentes classes sociais, até um menino especial, que estava totalmente integrado e participativo ao longo do camp. Além de ser um aprendizado para eles, é um aprendizado para a gente também. Fico feliz de participar, o projeto é muito legal e trazer esse evento para o nordeste, uma região carente desse tipo de iniciativa, é mostrar interesse e respeito pelos fãs. Espero que o NBA Basketball School possa seguir expandindo pelo país.

Guilherme Giovannoni

São meninos e meninas de idades diferentes, níveis diferentes de basquete, cidades diferentes… Mas com a mesma vontade, com a mesma alegria e com postura de atleta, de quem quer evoluir, quer melhorar o seu jogo. A evolução deles foi muito grande, isso tem muito a ver com a química do convívio, um ambiente leve, uma atmosfera muito legal.

Jeff Chirstensen

Back To Top